APESAR DE TUDO, AINDA ACREDITO NA BONDADE HUMANA 

– ANNE FRANK –

É com essa frase de Anne Frank que começa o passeio a um dos mais novos museus de Curitiba, o Museu do Holocausto (o primeiro do Brasil sobre o assunto).

 Ás 9:00 de hoje, domingo, já estamos em frente a Sinagoga Beit Yaacov, no seu anexo funciona o novíssimo Museu do Holocausto (inaugurado em fevereiro/2012). Depois de um rigoroso procedimento de segurança (é proibido entrar com bolsas e máquinas fotográficas) conhecemos a nossa guia, uma simpática judia responsável por toda a coleta de material referente aos testemunhos de sobreviventes do museu.

Sinagoga Beit Yaacov

O museu é um prato cheio para quem (assim como eu!!) adora história. Lá é possível ver testemunhos de sobreviventes que vieram para o Brasil e principalmente ao Paraná; contando as histórias de terror e do quanto libertador e assustador foi o fim daquilo tudo. 

Fotos de tragédias como a “Noite dos Cristais”, “Marchas da Morte” e dos terríveis campos de concentração e de extermínio pela Europa estão disponíveis. Objetos que remetem a discriminação horrível que os judeus sofriam como passaportes com a letra “J” em que eram obrigados a ter, a estrela amarela que eram obrigadas a costurar nas roupas, um capacete de um soldado nazista e até uma página do Torá queimada durante a Noite dos Cristais.

Folder do museu

O que achei muito legal no museu é que, mesmo tendo a companhia de uma guia, tudo por lá é muito interativo. Você pode escutar os próprios sobreviventes contando suas histórias.

Destaque para a parte onde são homenageados os JUSTOS, pessoas que não eram judias e, mesmo correndo riscos, ajudavam os judeus a se esconder ou a fugir, inclusive uma brasileira Aracy de Carvalho Guimarães Rosa, esposa do escritor Guimarães Rosa que trabalhava na Alemanha na época da guerra e emitia vistos clandestinos que ajudavam os judeus a fugir para o Brasil.

As visitas são gratuitas e os horários de funcionamento são bem restritos, mas ATENÇÃO as visitas guiadas, ou não, devem, obrigatoriamente, ser agendadas pelo site do Museu (www.museudoholocausto.org.br).

Mais sobre Curitiba:

Jardim Botânico

Universidade Livre do Meio Ambiente

Museu Oscar Niemeyer

Parque Tingui e o Memorial Ucraniano

• Museu do Holocausto

Festival de Teatro de Curitiba

Tapetes de Corpus Christi

Restaurante Madero

Formas de visitar Morretes

Deixe um comentário para mim: